O que é a Hipertensão Arterial?

Hipertensão arterial ou pressão arterial elevada traduz um aumento da força exercida pelo fluxo sanguíneo contra a parede das artérias.

 

Quando se faz a medição, valores de pressão sistólica (“máxima”) superiores a 140 mmHg e de pressão diastólica (“mínima”) superiores a 90 mmHg são considerados anormais.

A Hipertensão Arterial é frequente?

A hipertensão arterial é uma doença muito frequente em todo o mundo e Portugal não é excepção. Num estudo realizado no nosso país em 2003, concluiu-se que cerca de 42% da população adulta apresentava Hipertensão Arterial. Paradoxalmente, neste mesmo estudo mais de metade dos hipertensos desconhecia que apresentava a doença.

Elsa Morgado - Nefrologista

Existem situações em que o risco de desenvolver Hipertensão Arterial é maior?

Qualquer pessoa pode vir a desenvolver hipertensão arterial independentemente da idade, sexo, grupo racial ou constituição física, contudo existem algumas situações que predispõem a maior risco, nomeadamente:

  • Idade;

  • Ascendência africana;

  • História familiar de Hipertensão Arterial;

  • Excesso de peso ou obesidade;

  • Sedentarismo;

  • Tabagismo;

  • Consumo excessivo de sal na dieta;

  • Consumo diminuído de potássio e vitamina D na dieta;

  • Alcoolismo;

  • Stress;

  • Algumas doenças crónicas como a Diabetes mellitus, a hipercolesterolémia (colesterol elevado no sangue), a hiperuricémia (ácido úrico elevado no sangue), a Doença Renal Crónica, entre outras.

Quais são as causas de Hipertensão Arterial?

A hipertensão arterial é uma doença muito frequente em todo o mundo e Portugal não é excepção. Num estudo realizado no nosso país em 2003, concluiu-se que cerca de 42% da população adulta apresentava Hipertensão Arterial. Paradoxalmente, neste mesmo estudo mais de metade dos hipertensos desconhecia que apresentava a doença.

Quais são os sintomas de Hipertensão Arterial?

É muitas vezes apelidada de “doença silenciosa” porque nas fases iniciais os sintomas encontram-se ausentes ou são muito ligeiros (dor de cabeça, tonturas, sangrar pelo nariz mais frequentemente).

Como é que se trata a Hipertensão Arterial?

O tratamento da hipertensão baseia-se numa estratégia integrada e personalizada que inclui modificação do estilo de vida, tratamento com fármacos, e prevenção de lesão em órgãos alvo, nomeadamente no rim.

Qual a vantagem de ser o Nefrologista a tratar a Hipertensão Arterial?

Sendo a Hipertensão arterial uma das principais causas de doença renal crónica e das que mais tem contribuído para o aumento do número de doentes em diálise em Portugal, é fundamental a avaliação periódica do doente hipertenso por um especialista em Nefrologia.

  • Licenciada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, em 1997.

 

  • Especialidade de Nefrologia de 2000 a 2004, com estágios no Hospital de Faro, no Hospital de Santa Maria, no Hospital de São José e no Hospital de Curry Cabral em Lisboa.

 

  • Assistente Hospitalar de Nefrologia no Hospital de Faro entre 2005 e 2012.

 

  • Médica Residente e subsequentemente Nefrologista desde 2004 até à actualidade no centro de hemodiálise de Faro (NephroCare-Fresenius Medical Care).

 

  • Experiência de colaboração em diversos hospitais e clínicas privados.

 

  • Experiência como investigadora em vários estudos multicêntricos.

 

  • Autora e co-autora de várias publicações na área da Hipertensão Arterial, Risco Cardiovascular, Diabetes mellitus e Doença Renal Crónica em revistas científicas nacionais e estrangeiras.

 

  • Interesse particular em Hipertensão Arterial, Risco Cardiovascular, Diabetes mellitus, Síndroma Metabólica, Litíase Renal, Doença Renal Crónica e Hemodiálise.​

Quais são as consequências da Hipertensão Arterial?

Quando não diagnosticada e controlada a hipertensão arterial vai-se agravando e pode atingir quase todos os órgãos (“órgãos alvo”) e sistemas do corpo humano com consequências nefastas para o indivíduo.

  1. Nas artérias de todo o corpo causa aceleração do processo aterosclerótico que ocorre normalmente com a idade, o que, por sua vez, contribui para um agravamento da própria hipertensão.

  2. No coração causa inicialmente espessamento das paredes do mesmo e mais tarde dilatação das suas cavidades o que clinicamente se traduz por angina de peito e insuficiência cardíaca.

  3. No rim o atingimento das pequenas artérias leva à perda da função de filtração e ao aparecimento de insuficiência renal que quando não identificada pode levar à necessidade de realização de hemodiálise.

  4. No cérebro pode levar ao aparecimento de acidentes vasculares cerebrais (“trombose”) ou ao estabelecimento precoce duma demência.

  5. No olho, o atingimento das pequenas artérias da retina pode levar ao aparecimento de vários tipos de doença ocular que de uma forma geral se traduzem por perda da acuidade visual (“cegueira”).

  6. Síndroma Metabólica. Esta síndroma é causada por um conjunto e alterações do metabolismo - incluíndo aumento do perímetro da cintura, elevação dos triglicéridos e das LDL, diminuição das HDL (o chamado “bom” colesterol) elevação da pressão arterial e níveis aumentados de insulina no sangue. Se uma pessoa apresenta Hipertensão Arterial tem maior probabilidade de desenvolver os outros componentes da síndroma. Quantos mais componentes do síndroma apresentar maior o risco de desenvolver Doença Renal Crónica, ter um enfarte agudo do miocárdio ou um acidente vascular Cerebral (“trombose”).

De 2ª a 6ª feira, das 9 às 20 horas.
Encerrados nos feriados nacionais e no dia 7 de Setembro (Feriado Municipal).
289 828 104  |  927 549 339
Rua da Polícia de Segurança Pública, 36.
8000-408 Faro.
  • Facebook Social Icon
  • Google+ Social Icon
308 804 850

© 2019. Clínica O Meu Médico. Todos os direitos reservados.